NOTÍCIAS

Sintra Portugal Pro termina com ondas perfeitas, lágrimas e quatro campeões

unnamed

 

 

A 19ª edição do Sintra Portugal terminou da melhor maneira com ondas perfeitas, sol, e quatro campeões do Mundo: Amaury Lavernhe (Open), Alexandra Rinder (Feminino), Dave Hubbard (Drop Knee) e Tristan Roberts (Pro júnior)

Quanto aos vencedores do evento, Dave Hubbard e Isabela Sousa venceram o Sintra Portugal Pro nas categorias open e feminina, Amaury Lavernhe conquistou o evento em Drop Knee e Tristan Roberts somou o triunfo no evento ao título mundial de juniores.

Ironicamente, Dave Hubbard, que repetiu o segundo título mundial aqui em Sintra, acabou por terminar o dia a vencer o evento na categoria open, batendo Amaury Lavernhe na final, enquanto Amaury acabou por vencer a categoria de Dropknee. O novo campeão do Mundo open, aliás, terminou o dia com 6 baterias no corpo mas, naturalmente, muita felicidade.

“Tenho de dar graças ao momento que estou a atravessar na minha vida”, congratulou-se o francês radicado nas ilhas Canárias, acrescentando: “Este está a ser um ano especial para mim. Fui pai, casei-me há duas semanas e agora sagrei-me campeão do Mundo depois de, no ano passado, quase ter desistido da competição.” Uma alusão ao facto de, em 2013, ter terminado o circuito em primeiro lugar do Circuito Mundial a par com o australiano Bem Player, para ver o desempate ser feito na secretaria, com o recurso ao “ranking” do ano anterior.

“Sintra é um campeonato muito especial para mim. Há 12 anos vim cá pela primeira vez e não tinha dinheiro para pagar o alojamento, por isso dormi na praia. E desde aí, conquistei aqui dois títulos mundiais. Certamente, a Praia Grande tem um sítio especial no meu coração”, desabafou emocionado Amaury, que se tornou matematicamente campeão depois de ver cair, nos quartos, o sul-africano Jared Houston às mãos de João Barciela e, num duelo brasileiro, Uri Valadão ceder frente a Lucas Nogueira.

Dave Hubbard, campeão de luto

E foi de emoções este último dia do Sintra Portugal, com a manifestação mais pungente a pertencer a Dave Hubbard. O havaiano que venceu em Sintra o primeiro evento open da sua carreira depois de eliminar o português João Barciela nas meias-finais e bater Amaury Lavernhe na final, não resistiu às lágrimas quando, no pódio, dedicou a sua vitória à namorada e a um amigo, tragicamente mortos num acidente de viação há quatro meses.

Mas antes de ceder às lágrimas, o havaiano, dono de 6 títulos mundiais de Drop Knee, manifestou a alegria e o orgulho de vencer em Sintra: “Sempre quis vencer aqui. Muitos dizem que a onda não se adequa ao seu surf e menosprezam-na por isso. Eu acho-a muito desafiante e sempre tentei vencer aqui. Acabei por vencer aqui ao homem que se sagrou campeão do Mundo e isso tornou tudo ainda mais especial. Se me sabe melhor ganhar aqui o Open ou ser campeão do Mundo? Este sabor de ganhar em open é novo e eu estou a gostar mais!”

 

 

Alexandra Rinder e o conto de fadas

Alexandra Rinder compete em Sintra desde os 12 anos e vê-la no pódio, aos 16 anos (a mais jovem campeã mundial de sempre), escondendo as lágrimas atrás dos óculos escuros, emocionou muita gente que a vê competir em Sintra desde menina.

O caminho para o título foi atribulado, pois Alexandra foi eliminada na ronda 4 da competição e teve de esperar que a japonesa Sari Ohara e a brasileira Jessica Becker não vencessem o evento. Sofreu até final mas foi salva por outra brasileira, ironicamente, a campeã que agora lhe passou o testemunho, Isabela Sousa. Isabela, que somou o único 10 da competição, na meia-final com a japonesa Ayaka Susuki, derrotou Jessica Becker na final e entregou o título a Alexandra que se atirou para a água para celebrar com a sua “salvadora”.

Isabela confessou que “foi difícil afastar o título do Brasil, mas não me sentiria bem entrar na água e não fazer tudo para vencer. A competição é a minha vida, é algo sagrado, e nunca iria trair isso.”

O diamante sul-africano

Tristan Roberts venceu o pro-júnior de Sintra e, consequentemente, após somar os resultados da etapa de Pipeline e do open de Sintra, sagrou-se campeão mundial sub-18, batendo na final o português Miguel Adão. O jovem sul-africano de 17 anos confirmou o estatuto de uma das maiores esperanças do bodyboard mundial, deixando o havaiano Tanner McDaniels (14 anos) em segundo no “ranking”.

João Barciela e Catarina brilham por Portugal

João Barciela assinou hoje em Sintra uma prestação histórica, só superada por Manuel Centeno, o único português a ganhar o evento, classificando-se em terceiro lugar da geral, a par do brasileiro Lucas Nogueira.

Barciela, local de Carcavelos, deixou pelo caminho o três vezes campeão mundial Jeff Hubbard e o sul-africano candidato ao título Jared Houston e só foi travado por um imparável Dave Hubbard na meia-final. No final, o balanço era claramente positivo:

“A partir do momento em que entrei no ‘main event’, na fase da competição com os melhores do Mundo, mudei a minha atitude e entrei, não digo só para me divertir, mas sem qualquer pressão. Sabia que estava a competir com os melhores do Mundo, com os meus ídolos e que não tinha nada a provar. Fiz as minhas ondas e tudo foi acontecendo até chegar ao terceiro lugar.”

João Barciela, o campeão nacional, ambiciona correr o circuito mundial e confessa-se desiludido com a falta de apoios: “Espero que o meu desempenho no Sintra Pro mostre às pessoas que posso ter sucesso no Circuito Mundial, pois não sei que mais fazer para provar o meu valor. Preciso de ajuda e o bodyboard nacional também.”

Catarina Sousa também subiu ao pódio após conseguir um 9º lugar (eliminada nos quartos por Isabela Sousa) e deixou uma mensagem inspiradora: “Compito no Sintra Portugal Pro desde a primeira edição e quero dar os parabéns à organização de um evento que levou muita gente para o bodyboard. Espero que o que consegui aqui em 2009 (ano em que venceu a competição) e o que fiz aqui hoje motive as minhas alunas e mais gente a abraçar este desporto.”

As despedidas na Praia Grande foram feitas e já há negociações entre a Federação Portuguesa de Surf, a Association of Professional Bodyboarders e a Câmara Municipal de Sintra para um evento especial em 2015, a 20ª edição do Sintra Portugal Pro.