NOTÍCIAS

Joana Schenker e Teresa Almeida nas meias-finais

 

 

 

O Sintra Portugal Pro aproxima-se da sua reta final, com a competição a filtrar os melhores que, domingo, subirão aos pódios das competições Open, Dropknee, Junior e Feminino.


No feminino, a luta pelo título mundial está ao rubro, com os quartos de final a ditarem duas baixas entre o “top 5” mundial: a japonesa Sari Ohara, quarta classificada APB, e Alexandra Rinder, a segunda na corrida liderada pela nipónica Ayaka Susuki.  Rinder, das Canárias, foi batida por Joana Schenker num heat de muitos nervos para os adeptos nacionais.

Outra bateria em que as emoções nacionais estiveram ao rubro foi aquela protagonizada por Teresa Almeida e Mayumi Tone, mais uma japonesa. 

E a Praia Grande foi generosa para as bodyboarders da casa, com Joana e Teresa a prosseguirem para as meias-finais onde, se encontrarão.

“É pena encontrarmo-nos na meia-final mas, pelo menos, teremos uma portuguesa na final”, afirmou no final Teresa Almeida, acrescentando: “Seria muito bom ganhar aqui por todas as razões. Sintra é um campeonato especial, que nos viu crescer a todos. Se calhar, muitos de nós fazem bodyboard porque desde pequenos vimos aqui ver os melhores do Mundo e sonhar em competir e ganhar. Estou muito feliz em poder estar aqui e ir ao pódio.”

 

Por sua vez, Joana Schenker, que venceu em Sintra o ano passado num passo decisivo para a conquista do seu próprio título mundial, congratulou-se pela vitória difícil sobre a antiga campeã mundial Alexandra Rinder: “O primeiro objetivo, ir ao pódio foi realizado. Fui ao pódio em dois anos consecutivo e, pelo menos isso, já não me tiram.” A campeã mundial portuguesa também reconheceu alguma sorte depois de um erro na gestão da bateria: “Se calhar no final da bateria quase abri mão da vitória mas logo a seguir surgiu uma onda que me salvou. Tive sorte também.” E agora as contas... “Conquistei importantes pontos para o ‘ranking’ e vou poder substituir o quinto lugar que tive na Austrália. Agora é dar o meu melhor para ir à final. Sei que a Ayaka Susuki está na liderança do campeonato  e muito forte, mas tudo é possível. Já vi a Ayaka surfar muito bem num momento e vacilar no outro, como acontece a todas nós. Não há vencedores antecipados.”

 

Quem também se tem apresentado em grande forma no Sintra Portugal Pro é o campeão nacional de Dropknee, Tiago Pimentão, que venceu a bateria da ronda 4 , qualificando-se para os oitavos de final da competição que, em Sintra, definirá o campeão mundial.

 

 

 

“Estou perto de igualar a minha melhor prestação no Sintra, que foi chegar aos quartos de final”, declarou Pimentão, acrescentando: “O ano passado sofri uma lesão durante os trabalhos com a Seleção Nacional mas este ano tenho treinado muito, especialmente nos últimos quatro meses e estou a colher os frutos desse trabalho. Agora é tentar ir o mais longe possível, veremos.”

 

No Open, os portugueses mais cotados continuam em prova, com António Cardoso, Dino Carmo e Daniel Fonseca a passarem aos oitavos de final. Pelo caminho ficou o figueirense Miguel Adão, que levou a pior num heat fratricida frente a António Cardoso e Dino Carmo.

E por falar em heats entre portugueses, também nos oitavos teremos um duelo entre Daniel Fonseca e Dino Carmo, enquanto António Cardoso defrontará o antigo duas vezes campeão mundial Pierre Louis Costes, um francês radicado em Portugal há 6 anos.


ABSCS CM Sintra