NOTÍCIAS

Steph Kokorelis brilha no segundo dia do Sintra Portugal Pro

 

steph 2 

 

No segundo dia de Sintra Portugal Pro (até 1 de Setembro, na Praia Grande), com a conclusão do quarto round do GQS (etapa do circuito mundial de qualificação), e a entrada de todas as vedetas da competição masculina, como os campeões mundiais Jeff Hubbard e    Pierre Louis Costes, quem brilhou foi um português de 15 anos: Stephanos Kokorelis.

Filho de pai grego e mãe portuguesa que se conheceram enquanto estudantes no Canadá, Steph, como é conhecido entre os amigos na praia de Carcavelos, é desde há algum tempo apontado como uma das mais brilhantes promessas do bodyboard nacional e hoje confirmou-o com uma exibição incrível que o levou a passar a quarta ronda batendo o ex-campeão mundial Pierre Louis Costes, com um score 14,85 contra 14,10 do francês.

Nesta sua primeira participação de sempre no Sintra Portugal Pro, Steph não esconde o deslumbramento:

"Sinceramente, nunca pensei que chegasse tão longe. Quando vi no meu primeiro heat que tinha de competir com o Tó Cardoso e o Diego Cabrera... Mas passei e depois, no heat com o Pierre, foi uma questão de entrar com tudo, arriscar tudo, oito ou oitenta!"

E Steph arriscou e ganhou, começando a bateria com um backflip, uma das manobras mais acrobáticas do bodyboard e não desarmando até final. Pierre, o campeão em título do Sintra Portugal Pro está a recuperar de uma fractura nas costelas mas mostrou a categoria habitual e passou o heat mas não sem dar a vitória ao miúdo de Carcavelos.

De resto, uma jornada com algumas surpresas, como a eliminação de Dave Hubbard, um dos favoritos à vitória.

Quanto aos portugueses, Rui Pereira, melhor português no GQS não passou ao terceiro dia, assim como Miguel Adão, Hugo Pinheiro, Jaime Jesus, Dino Carmo e João Pinheiro. Prosseguem em prova, Bernardo Jerónimo, Nicolas Rosner, Manuel Centeno e Rodrigo Rijo, que vão competir nos oitavos de final.

Foi também o primeiro dia da competição feminina, com a luso-germânica Joana Schenker a brilhar e a passar com distinção para o dia seguinte. Menos sorte para a madeirense Carina Carvalho. Restam ainda as portuguesas Marta Leitão, Madalena Pereira e Catarina Sousa, que por força do seu "seeding" ainda não entraram em prova.

Na prova de Drop Knee que também hoje fez o seu arranque, Nicolas Rosner passou em frente, enquanto Nuno Paulino e Tiago Pimentão ficaram pelo caminho. Renato Paço, no Drop Knee, fará a sua entrada apenas na segunda ronda.

Check in amanhã às 8h30 para o terceiro dia de Sintra Portugal Pro 2013

Nicolas Rosner quer cozinhar vitória em Sintra

nrosner 

 

Nicolas Rosner faz com Renato Paço a dupla de wildcards representantes da Praia Grande no Sintra Portugal Pro 2013.

 

Filho de mãe alemã, pai norte-americano mas nascido em Portugal, este bodyboarder de 27 anos é um poster para a globalização, o que explica a mentalidade aberta à exploração de novos horizontes geográficos e também se reflecte, até, na maneira criativa (e explosiva) como surfa.

 

"Comecei a surfar no Magoito e depois acabei por começar a surfar ais na Praia Grande pela qualidade das ondas", explica.

 

A sede de viajar e o passaporte norte-americano permitiram-lhe passar alguns meses este ano no Havai, a trabalhar como cozinheiro e a aproveitar para surfar as excelentes ondas daquee arquipélago dos EUA.

 

"Fartei-me de trabalhar, pelo que surfava quando tinha tempo disponível. Depois, aproveitei o dinheiro que amealhei lá e fui viajar durante um par de meses para a Indonésia."

 

Viagens e boas ondas a pensar na água fria da praia Grande...

 

"O objectivo era treinar para esta prova. O Mundial é sempre um ponto alto da minha temporada e tenho sempre muita vontade de surfar nesta prova", admite Rosner, que se estreou no Sintra Portugal Pro em 2002, com 14 anos, e já conseguiu chegar às meias-finais da prova, em 2005.

 

O ano passado, Rosner chegou à terceira ronda do main event do Grand Slam, a par de Miguel Adão, o que, aliado a uma boa prestação no Nacional que se realizou na Praia Grande no passado fim-de-semana (chegou às meias-finais e foi premiado com a melhor manobra do campeonato [na foto], lhe abre boas perspectivas.

photo

"O nível é muito alto e o facto de ser uma prova do circuito de qualificação, com muitos atletas esfomeados por pontos que lhes permitam chegar à Grand Slam Series. Mas vou tentar fazer até melhor que o ano pasado. Estou confiante e com vontade de ir o mais longe possível!"

Um estrutura de luxo

2
 
 
Ao cabo de 18 anos de trabalho, o Sintra Portugal Pro já adquiriu mecanismos e limou arestas ao ponto de se tornar uma máquina super eficiente. Parte importante do sucesso deste evento, elogiada pelo General Manager do circuito, o austraiano Alex Leon, como "um exemplo para os promotores de etapas da IBA em todo o Mundo", passa pela magnífica estrutura.
 
Com cerca de 300 m2 de área funcional, a estrutura do Sintra Portugal Pro 2013 engloba uma área de imprensa, duas áreas de fisioterapia e massagens (uma para público e outra dedicada exclusivamente a competidores), secretariado, três casas de banho independentes com tratamento químico diário, armazém e área VIP.
 
Um quartel-general que assegura o excelente funcionamento do mais prestigiado evento de bodyboard da Europa e o mais antigo do circuito europeu. 
 
 
 
 

Renato Paço um "sintrense de gema" no top mundial

Renato Paço

 

Renato Paço será uma das figuras de proa do bodyboard nacional no Sintra Portugal Pro 2013. O bodyboarder português com melhor classificação de sempre no Circuito Mundial de Drop Knee da IBA, com um quinto lugar em 2009, é também um local da Praia Grande e um autoproclamado "sintrense de gema" que cresceu junto às ondas da Praia Grande.

 

"As minhas primeiras memórias remontam ao final dos anos 80, quando se realizavam na Praia Grande as etapas do Mundial de surf. O Mark Occhiluppo ou o Nick Wood paravam muito aqui e eu, que era um puto da praia acabei por ser uma espécie de mascote deles", recorda o atleta apoiado pela empresa alemã Hormann.

 

Renato assume que as suas maiores influências foram surfistas e não bodyboarders, e nomes como André Pedroso, João de Macedo e Pedro Caldas, entre outros.

 

"Sabia que queria ir para a água e acabou por se proporcionar fazê-lo com uma prancha de bodyboard. Mas como a minha influência vinha do surf e de 'big riders' da Praia Grande, acabei por enveredar pelo Drop Knee, que tem mais a ver com o surf", explica.

 

Saltando para o Sintra Portugal Pro de 2013, as expectativas de Renato são conservadoras:

 

"É uma prova imprevisível. O nível é elevadíssimo e tudo pode acontecer. Tenho como referências neste evento o sul-africano Sacha Specker, o peruano Cesár Bauer e o haviano Dave Hubbard. Mas da mesma forma que nunca esperava chegar ao quinto lugar do top mundial em 2009, também sei que tudo pode acontecer aqui."

 

De resto, o envolvimento de Renato na vida da Praia Grande e do concelho de Sintra tem outras ramificações, como o apoio ao candidato do PSD para a Câmara Municipal de Sintra, Pedro Pinto, algo que Renato defende com convicção:

 

"É um grande prazer que, como sintrense que sou, apoio Pedro Pinto à Câmara Municipal. Tem sido um apoio importante na minha actividade e é alguém em quem acredito para ajudar a causa do surf e bodyboard como actividades dinamizadoras do concelho."