NOTÍCIAS

Suspeitos do costume sobrevivem ao nevoeiro no primeiro dia de competição

 

Os melhores bodyboarders do Mundo puderam, finalmente, no segundo dia do período de espera do Sintra Portugal Pro, vestir as lycras e realizar quase duas rondas da competição masculina (o nevoeiro obrigou à interrupção da segunda ronda com dois heats para a sua conclusão) e uma ronda de Dropknee. Foi o tiro de partida possível para um festival de bodyboard que termina no domingo e que ainda congrega provas dos campeonatos feminino e projunior (sub 21) do APB World Tour.


Entre as surpresas do dia, destaque para a exibição dos havaianos Miles Kauhaahaa e Sammy Morrentino, no Dropknee, e do sul-africano Tristan Roberts, que somou o score total mais alto do dia (16,00 em 20 possíveis).


Pela negativa, o afastamento precoce de Daniel Fonseca, que se sagrou há alguns dias campeão nacional de bodyboard 2017.



O campeão mundial em título, o francês Pierre Louis Costes, seguiu em frente e mostrou-se empenhado em conseguir um bom resultado num ano tornado “atípico” do ponto de vista desportivo pelo nascimento do seu filho, agora com 3 meses.



“Este não está a ser um ano normal para mim porque fui pai e a prioridade nunca foi revalidar o título mundial. É certo que ganhei no Chile, numa das provas mais importantes e conceituadas do circuito, mas agora, para pensar em ser campeão, não poderia falhar mais nenhuma prova e, como tal, não posso vacilar em Sintra”, assume Pierre, que está casado com uma portuguesa e reside no nosso país há já 6 anos.



Campeão mundial e campeão do Sintra Portugal Pro em 2012 e 2015, Pierre sublinha a importância acrescida da etapa sintrense, que, dizem as estatísticas, lhe costuma correr muito bem:




“Tenho a vantagem de morar em Portugal e poder treinar aqui com alguma regularidade, mas Sintra é uma lotaria onde nunca sabemos o que vai acontecer.”



Um dos homens que tentará evitar que Pierre Louis Costes volte a ter sucesso nas ondas da Praia Grande será o sul-africano Ian Campbell, actual líder do “ranking” APB, que não esconde o enorme desejo de ser o campeão mundial de 2017:




“Sim, a pressão está definitivamente aí, mas vou tentar afastar isso da minha cabeça e fazer um heat de cada vez”, confessa Campbell, finalista derrotado do Sintra Portugal Pro do ano passado, acrescentando:


“Seria um sonho poder, pelo menos, repetir a final do ano passado. As condições este ano estão muito complicadas, os fundos estão muito rasos e até já tivemos até algumas lesões aqui hoje. São tudo factores que dificultam a minha vida aqui, mas vou concentrar-me em fazer um heat de cada vez.”


Recordamos que o Sintra Portugal Pro é a primeira de quatro etapas do APB World Tour. Sintra inicia esta perna portuguesa, seguindo-se a Bodyboard Girls Experience, na Madeira (23 e 24 de Setembro), o Viana Pro (26 de Setembro a 1 de Outubro) e o Nazaré Pro (3 a 12 de outubro).


Sintra Portugal Pro à espera de boas ondas, declara "lay day"

O período de espera do 21º Sintra Portugal Pro arrancou hoje sem competição, com o mar grande e desordenado e os ventos desfavoráveis a deixar os melhores bodyboarders do planeta na areia da Praia Grande.

“Infelizmente, o mar não colaborou para que pudéssemos arrancar hoje com a prova. As ondas estão demasiado grandes para o que os bancos de areia da Praia Grande conseguem aguentar nesta altura do ano e o vento resolveu aparecer em força, pelo que decidimos declarar ‘lay day’ e fazer novo "check in” amanhã”, explicou Terry McKenna, responsável do APB World Tour.

A etapa portuguesa do Circuito Mundial de Bodyboard, que decorre até dia 17 de Setembro, traz a Sintra 150 dos melhores atletas internacionais, entre os quais os campeões mundiais Pierre Louis Costes (França) e Isabela Sousa (Brasil), além dos melhores portugueses, como o caso de Dino Carmo, 9º do “ranking” mundial, ou a campeã europeia Joana Schenker.


Beachcam premeia melhor português do Sintra Portugal Pro

O Beachcam.pt, site de referência dos desportos de ondas nacionais, que serve todos aqueles que se deslocam às praias portuguesas com as suas câmaras, beach reports e notícias, assina uma parceria com a organização do Sintra Portugal Pro para premiar o bodyboarder português (ou a portuguesa) melhor classificado na competição, com um prize money de 250 euros.

Recorde-se, a título de curiosidade, que já dois portugueses venceram o Sintra Portugal Pro: Manuel Centeno (2003) e Catarina Sousa (2009).

 

 

Armada portuguesa a postos para arranque do Sintra Portugal Pro 2017

 

Os melhores bodyboarders portugueses estão a postos para a 22ª edição do Sintra Portugal Pro, que decorre na Praia Grande, Sintra, entre 12 e 17 de Setembro, com organização da Associação de Bodyboard e Surf da Costa de Sintra e chancela da APB — Association of Professional Bodyboarders.

Dino Carmo, o português com melhor “ranking” APB do momento, na 9ª posição, está em grande forma, com uma série de resultados de entre os quais de destaca o 2º lugar na etapa brasileira de Itacoatiara. No segudo ano em que consegue cumprir na íntegra o circuito mundial, Dino acredita numa boa prestação em Sintra:

“O ano passado estava a tentar romper o ‘top 24’, este ano, sobretudo depois da final de Itacoatiara, o objectivo é ser ‘top 12’ em 2018 e, se conseguir os apoios, competir como cabeça de série nas etapas da Austrália, Taiti e Havai. Para Sintra, se conseguir, pelo menos, igualar o 9º lugar do ano passado, fico satisfeito, mas quero, acima de tudo, surfar bem, marcar o meu nome e contribuir para o crescimento do bodyboard”

Para Manuel Centeno, que não tem competido no circuito APB, a responsabilidade é diferente mas o 10 vezes campeão nacional e antigo “top 6” mundial é uma seta apontada ao pódio em Sintra. E a ausência de pressão pode ser uma aliada para o único atleta masculino nacional que já venceu a etapa mundial da Praia Grande:

“Gostava de chegar o mais longe possível, ou seja, chegar ao pódio. Constato com alegria que há uma geração nova com fome de resultados e gostaria, acima de tudo, que o bodyboard português se mostrasse forte no Sintra Portugal Pro. E se puder contribuir pessoalmente para isso... melhor.”

Também a tetracampeã nacional Joana Schenker tem por hábito dar-se bem nas ondas da Praia Grande. O ano passado, a algravia apenas perdeu para a campeã mundial Isabela Sousa, na final.

“O Sintra Portugal Pro é especial para mim. Nunca falhei uma edição desde que comecei a competir e o ano passado foi o culminar desse pecurso, com a presença na final. Este ano, é ainda mais importante por ser a mais pontuada para o circuito feminino, pelo que todas as atletas querem tirar um bom resultado”, diz a bodyboarder de Sagres.

Na competição feminina, as cores nacionais estarão também representadas ao mais alto nível pela antiga campeão mundial ISA Teresa Almeida, que faz depender da prestação em Sintra o resto da sua temporada competitiva:

“O Sintra Portugal Pro é um campenato super importante para os portugueses. Hoje em dia, já não é a única etapa em território nacional, mas tem grande impotrância pelos pontos que oferece e vai, com certeza, ser decisiva para a minha classificação no mundial. Se Sintra correr bem, vou competir mais no circuito, se não, vou concentrar-me no Eurosurf da Noruega [campeonato europeu de selecções].”

O Sintra Portugal Pro é a mais antiga prova sem interrupções do Circuito Mundial de Bodyboard e uma das mais prestigiadas das 11 paragens do APB World Tour, sendo a única que congrega todas as categorias de competição da APB: Open, Feminino, Projunior (sub-21) e Drop Knee.